Esta página web usa cookies para que possas desfrutar de uma ótima experiência de usuário e para que possamos entender como usas a web. Se consentes o uso de cookies para esta página web, continua a navegar com normalidade. Podes encontrar mais informação sobre as cookies que usamos e configurar o seu uso visitando a nossa página de configuração de cookies.

Blog

O trigo sarraceno: grande fonte de energia

trigo-sarraceno

O trigo sarraceno é uma grande fonte de energia, perfeita para desportistas. Falamos de uma planta herbácea, pertencente à família das poligonáceas. Devido às características dos seus grãos, emprega-se tanto no consumo animal como para o humano. Ainda que seja considerada um cereal por muita gente, realmente não o é ao formar parte da família das gramíneas.

Benefícios derivados da sua composição

Com origem na Ásia central, é cada vez mais normal que esteja presente na nutrição desportiva. Falamos duma enorme fonte de proteína de tipo vegetal que, além de nos dar maiores doses de energia, melhora a circulação. Tudo são vantagens, portanto.

Devido aos seus componentes, poderia considerar-se um cereal de tipo clássico no qual o principal carboidrato é o almidão. Não obstante, conta também com outro hidrato de carbono complexo que possui uma enorme capacidade energética.

Esta energia é aportada ao corpo de uma maneira progressiva através do enorme conteúdo de fibra que possui, o que, ao mesmo tempo, proporciona outro benefício, o de ajudar a que a função intestinal se realize de forma idónea.

Devido ao seu aporte de fibra, o trigo sarraceno é ideal para a regulação da absorção de açúcares de maneira lenta. Ao mesmo tempo, produz-nos uma sensação de estar  saciados, e ao conter fagomina, a sensação de saciedade que ocasiona é muito maior, diminuindo o stress e a vontade de comer doces aquelas pessoas que estão a fazer dieta para emagrecer.

Uma das principais virtudes do trigo sarraceno é o seu enorme aporte proteico. Isto deve-se ao fato de que é muito rico em aminoácidos que, de maneira habitual, não estão presentes nos diferentes cereais de consumo frequente.

Outra das vantagens do consumo do trigo sarraceno é que não contém glúten, razão pela qual pode ser consumido por pessoas celíacas.

Em relação à gorduras, o seu germen aporta ácido linóleico. Este ácido gordo essencial ómega 6 é muito bom na luta contra o colesterol e contra as doenças cardiovasculares.

Além disso, algo que não ocorre com outra classe de cereais, o trigo sarraceno possui o germen situado no centro do grão, de maneira que o processo relacionado com o pelado não produz um empobrecimento do seu valor nutritivo.

Todos estes aspetos tornam-o idóneo para ser utilizado na alimentação daquelas pessoas que querem levar uma vida saudável, assim como por parte das que realizam algum desporto ou que vão ao ginásio de forma habitual.

A lista das suas virtudes não acaba neste ponto. O trigo sarraceno é muito rico em alguns minerais como potássio e magnésio; além disso possui quantidades de fósforo e de ferro que, ainda sendo discretas, são maiores que as de outros cereais. Do mesmo modo, tem um bom conteúdo de iodo, manganês, cálcio, cloro e enxofre.

Por tudo isto, ganhou fama como alimento energético, remineralizante e de resistência. O trigo sarraceno é particularmente aconselhado a pessoas que se encontram convalescentes, grávidas, pessoas com problemas de circulação e, muito especialmente, a desportistas.

Como cozinhá-lo

Uma das grandes vantagens que possui é que se faz com muita rapidez, mais que outros cereais existentes como por exemplo o milho ou o arroz. Estará feito em mais ou menos quinze minutos em lume brando, sem perder nenhuma das propriedades que possui. Esta característica torna-o ideal para ser utilizado de forma frequente na nossa alimentação.

Algumas preparações à base de trigo sarraceno

Com muita frequência emprega-se na alimentação com o grão inteiro ou partido, laminado ou em forma de farinha. O grão, esteja partido ou inteiro, cozinha-se da mesma forma que os cereais clássicos. Desta forma, podemos realizar guisados como o conhecido kasha russo, assim como a polenta vigia italiana.

Através da farinha obtida a partir do trigo sarraceno leva-se a cabo a elaboração de crepes franceses de grande autenticidade, assim como os pizzoccheri, procedentes de Itália, o fideo soba, com origem no Japão, ou os chapatis hindus, que são já um clássico.

Na preparação dos chapatis e dos fideos costuma utilizar-se uma mistura com a farinha de trigo, enquanto que para os crepes se usa farinha de sarraceno sozinha e, ainda antes de que se junte os ovos, obtêm-se hóstias que são estaladiças e leves.

Através da farinha feita com trigo sarraceno consegue-se que as misturas estejam mais arejadas e esponjosas.

Se queremos cozer o grão inteiro, em primeiro lugar, temos de lavar e torrar, de forma ligeira, o grão seco, com lume muito forte e mexendo constantemente. Desta maneira, conseguimos que esteja muito mais saboroso e infinitamente mais digerível. Em seguida, junta-se ao redor de duas taças cheias de água por cada taça de grão que tenhamos e leva-se ao lume a ferver.

Posteriormente, vai-se reduzindo o lume, tapa-se a panela e deixa-se cozinhar cerca de vinte minutos até ao momento em que a água tenha sido absorvida.

Teremos em conta que com uma menor quantidade de água se consegue um produto que é muito mais apto para servir de guarnição. Igualmente, com mais quantidade de água obtém-se uma consistência de maior cremosidade, para ser utilizada em guisados. Se vertermos a água a alta temperatura conseguiremos uma consistência muito mais esponjosa.

Por tudo o que dissemos, o trigo sarraceno é ideal para ser introduzido numa alimentação que queremos que seja saudável e que nos aporte energia se somos desportistas ou realizamos uma grande atividade. Está especialmente indicado para desportistas de resistência como, por exemplo, corredores de maratona ou ciclistas de fundo.

Virgin Active
#AlwaysDiscovering

Comentários ()