Esta página web usa cookies para que possas desfrutar de uma ótima experiência de usuário e para que possamos entender como usas a web. Se consentes o uso de cookies para esta página web, continua a navegar com normalidade. Podes encontrar mais informação sobre as cookies que usamos e configurar o seu uso visitando a nossa página de configuração de cookies.

Blog

O alimento da moda: o tempeh

tempeh

As visitas ao ervanário ou às lojas de produtos naturais são cada vez mais comuns entre as pessoas que querem cuidar da saúde através da alimentação. Quiças, se és uma destas pessoas deparaste-te com um produto do qual não saibas muito: o tempeh.

Tenhas ouvido falar dele ou não, a verdade é que é muito parecido com o tofu; este sim, muito mais popular. Atualmente ainda não é tão fácil de conseguir como se possa imaginar, mas cada vez mais vai aparecendo nas prateleiras das lojas especializadas porque tem um grande aporte nutricional para os desportistas e para os amantes da cozinha vegetariana.

Afinal, o que é o tempeh?

O tempeh é um alimento originário da Indonésia, mais concretamente, da ilha de Java, onde se consome desde o século XII. Apesar de ser o único derivado da soja que não procede da China ou do Japão, a sua popularidade é muito grande em muitas das gastronomias existentes no sudeste asiático.

Este produto é o resultado da fermentação da soja e apresenta-se sempre em forma de pastel. Neste sentido, partilha semelhanças com o tofu, que também é elaborado a partir dos grãos da soja. Não obstante, o tempeh possui outras características quanto ao sabor, textura e aporte nutricional devido a que o tempo dedicado ao processo de fermentação da soja faz reter uma quantidade mais alta de proteínas, vitaminas e de fibra. O sabor é mais intenso que o do tofu, chegando a parecer-se ao das nozes ou dos cogumelos. A sua composição é mais rígida, razão pela qual consegue essa aspeto de pastel tão característico.

Devido ao alto valor nutricional que apresenta, é utilizado em todas as partes do mundo como parte importante dentro da alimentação vegetariana como substituto da carne. Também se utiliza como alimento em diversas receitas em substituição do queijo. O que está claro é que ajuda a reconstruir a flora intestinal e a favorecer o trânsito intestinal.

Que benefícios aporta o tempeh?

Como já comentámos anteriormente, este alimento pode utilizar-se em substituição de certos produtos de origem animal porque se destaca principalmente devido ao seu alto conteúdo de proteínas. Neste sentido, podemos afirmar que realiza o seu trabalho às mil maravilhas, uma vez que cerca de cem gramas de tempeh podem aportar ao corpo humano ao redor de 40% das proteínas que este necessita por dia. Além disso, o nosso organismo aproveitará todos os seus aminoácidos essenciais.

A este aporte nutricional, é digno destacar que o tempeh é um alimento que pode ser uma grande ajuda para as mulheres que estejam na menopausa. Isto deve-se a que é capaz de aliviar todos os sintomas habituais ao mesmo tempo que fortalece os ossos. A razão está que no processo de fermentação o tempeh mantém toda a fibra das favas de soja. Essa fibra, por outro lado, vai ajudar-te a regular o trânsito intestinal.

A própria fermentação com a que se elabora cria antibióticos naturais que fortalecerão a resistência do teu corpo contra as infeções intestinais. É muito recomendado também para os desportistas diabéticos porque regula o nível de açúcar no sangue.

Diversos estudos confirmam que o seu consumo também pode reduzir o risco de doenças coronárias e de diversos tipos de cancro digestivo.

De que maneiras se cozinha o tempeh?

O processo de fermentação é muito complicado porque necessita duma temperatura constante e sem ventilação, muito típica das regiões do sudeste asiático. Quase todo o tempeh que podes encontrar fora da Ásia já está preparado e embalado em vácuo, pois já passou por diversos registos sanitários, além de ser pasteurizado para poder ser consumido. Em algumas lojas especializadas em cozinha asiática é possível encontrar tempeh fresco que podes comprar congelado e não te deves esquecer de o cozer previamente antes de o consumires em casa.

De qualquer modo, recomendamos-te sempre que o cozas a vapor durante dez minutos ou que o deixes de molho antes de o usares em alguma receita. Estes dois métodos ajudam a que a sua textura seja mais suave e adquira mais o sabor do resto de alimentos com os quero cozinhes. As formas mais utilizadas para cozinhar o tempeh são:

  • Assado no forno. Cortado em fatias e temperado com as especiarias que mais gostemos, acompanhado de verduras ou salada.
  • Salteado. Em forma de cubinhos podes misturá-lo com verduras e molho de soja ou agridoce.
  • Em pratos quentes. Podes dar um toque asiático às tuas sopas e caldos, juntando pedaços de tempeh ao resto dos ingredientes.
  • Ralado. Como já dissemos, é um bom substituto do queijo, assim que deixa voar a tua imaginação e põe tempeh em todas as comidas às quais deverias juntar queijo.

É importante destacar que o tempeh pode substituir o tofu em quase todas as receitas. No que diz respeito à sua utilização não há nada escrito, com o qual podes jogar com o seu sabor e textura e misturá-lo ou uni-lo a sanduíches, empadas, trates, etc.

Como posso elaborar tempeh em casa?

Se queres elaborar tempeh na comodidade da tua casa, necessitas de soja branca e do fungo Rhyzopus Oligosporus. Cozinha a soja até que fique mole, corta-a e retira as cascas. Uma vez escorrida, junta o fungo e dota-te paciência para realizar a parte mais complicada do processo: é necessário mantê-lo a uma temperatura de cerca de 31° centígrados durante 30 horas. Uma vez terminado este tempo, o bloco resultante deve ser congelado para deter a fermentação. Ou seja, cremos que pensarás como nós, que é melhor comprá-lo em lojas especializadas e esquecer este complicado passo, não?

Virgin Active
#AlwaysDiscovering

Comentários ()