Esta página web usa cookies para que possas desfrutar de uma ótima experiência de usuário e para que possamos entender como usas a web. Se consentes o uso de cookies para esta página web, continua a navegar com normalidade. Podes encontrar mais informação sobre as cookies que usamos e configurar o seu uso visitando a nossa página de configuração de cookies.

Blog

Jogos olímpicos: as lesões mais comuns na ginástica rítmica

ginástica-rítmica

Saltar, lançar objetos, coordenar-se com as companheiras, rodar, realizar todo o tipo de movimentos quase impossíveis, são algumas das coisas que terás de levar a cabo se o teu objetivo é entrar no mundo da ginástica rítmica. Este é um dos desportos mais espetaculares dos jogos olímpicos e dos mais antigos, estando já presente em Atenas 1896.

Também é um dos mais complexos na sua preparação e execução. Qualquer falha na ginástica rítmica paga-se muito caro e isso é bem sabido das grandes estrelas que se sucederam ao longo da história como a espanhola Almudena Cid, a bielorussa Liubov Charkashyna ou a ucraniana Anna Bessonova. Todas elas atingiram a glória, mas também sofreram inúmeras lesões. 

Aqui vamos mostrar-te em que consiste este desporto, quais são as lesões mais habituais da ginástica rítmica e como tentar combatê-la sou preveni-los com um treino correto no teu ginásio.

Ginástica rítmica: um desporto de altos voos

A gimnasia rítmica costuma praticar-se individualmente, em pares ou em equipas. Em cada caso os júris avaliam coisas diferentes que vão desde uma grande exatidão e espetacularidade dos movimentos e a sua coordenação com a música na modalidade individual, é uma grande destreza e coordenação com as companheiras na modalidade em equipa.

Este é um dos desportos que salta à vista, sobretudo, de quatro em quatro anos com os Jogos Olímpicos, não obstante, quando se terminam os Jogos costuma ficar um pouco esquecida. 

Apesar disso, o treino de ginástica rítmica exige uma grande preparação e muitas horas de repetições e também de reforços no ginásio ou na piscina porque os músculos e as articulações são submetidos a uma grande pressão que faz com que tenham que estar sempre bem exercitados e em plena forma para prolongar a curta vida desportiva destas ginastas. 

Por outra parte, como elas costumam dizer, é uma forma de vida, quando a praticam sentem muitas emoções muito intensas e vêem como o seu corpo se move ao ritmo da música, ao compasso das outras companheiras, criando um ambiente quase mágico que se translada também ao público. 

As lesões mais habituais na ginástica rítmica

  • Lesões na coluna vertebral. Devido à aparatosidade e aos contínuos movimentos que se exigem na ginástica rítmica, a coluna vertebral é uma das zonas mais submetidas à tensão e uma das que sofre mais lesões. Uma das mais perigosas chama-se espondilose e é causada por sobrecargas das vértebras, sobretudo na zona lombar baixa. 
  • Lesões no tronco. Na mesma linha do ponto anterior, as lesões no tronco também são muito frequentes devido aos exercícios constantes de flexão, rotação, extensão… aqui o desenvolvimento de una técnica correta é fundamental. Alem disso, também é importante que trabalhes a força muscular no teu gimnasio, pois será a chave nas aterragens. 
  • Lesões nas extremidades. Como já deves ter imaginado, outra zona do corpo que sofre continuamente com a ginástica rítmica são as extremidades, sobretudo as pernas, ainda que os braços também. Fracturas como a distal do rádio, ou as dores crónicas causadas pela fatiga são algumas das mais importantes. 

Para evitar estas lesões deves treinar corretamente, sabendo bem que movimentos deves fazer e quais não, assim como cuidar da tua alimentação e também estar alerta para detectar os sintomas de fatiga antes que seja demasiado tarde. Às vezes a vontade de competir e de te apurares para uma competição importante pode fazer-te passar um mau bocado que pode ter efeitos muito nocivos e duradouros. 

  • Torções, fracturas e luxações. Todas estas são lesões de ginastas. Costumam dizer que sempre competem com dor e não lhes falta razão pois este desporto, quando praticado a nível de elite, é muito exigente e desgasta o corpo. Não obstante, a um nível amador pode ser muito benéfico para a tua mobilidade, flexibilidade, resistência e também para o teu estado emocional, pois verás como o teu corpo se movimenta ao ritmo da música e em coordenação com outras pessoas. 

Como treinar corretamente ginástica rítmica

Como já pudeste ver, um treino correto sabendo como realizar cada um dos movimentos, assim como quando parar ou fazer outra coisa, é fundamental em ginástica rítmica. Todos os ginastas e os seus preparadores estão de acordo em que mais vale prevenir que remediar, pois os calendários costumam ser apertados e uma lesão pode-te privar de participar num campeonato onde querias muito ir. 

Por este motivo, fazem sempre finca-pé na informação e no conhecimento. Deste modo, há certos fatores que ele ou o ginasta podem controlar diretamente, como a nutrição, o treino, a progressão nas técnicas, tratar bem as lesões para evitar recaídas e outros que seriam mais externos como o equipamento utilizado, o meio…

Entre os exercícios e treinos mais eficazes para reforçar os teus músculos estão aqueles que conseguem sessões focalizadas como por exemplo as flexões, dominadas, flexões sobre os braços, launge e agachamentos. Deves saber que as técnicas e movimentos deste desporto exigem uma boa quantidade de força quer para os executar quer para os manter. Por isso deves trabalhar os teus músculos, mas sem perder flexibilidade ou mobilidade.

Os treinos mais corretos serão aqueles que permitam altas intensidades com volumes reduzidos. Assim como os que trabalhem especificamente grupos como os extensores do cotovelo, a cintura, o ombro, os adutores ou os flexores. Todos estes músculos deverão ser muito fortes para que durante os exercícios o teu corpo não se ressinta e sofras alguma lesão inoportuna.

Virgin Active
#AlwaysDiscovering

 

Comentários ()