Esta página web usa cookies para que possas desfrutar de uma ótima experiência de usuário e para que possamos entender como usas a web. Se consentes o uso de cookies para esta página web, continua a navegar com normalidade. Podes encontrar mais informação sobre as cookies que usamos e configurar o seu uso visitando a nossa página de configuração de cookies.

Blog

Fica em forma com alimentos japoneses

tofu

Conheces alguma alimentação capaz de competir ou melhorar em benefícios a nossa famosa alimentação mediterrânea? Sem dúvida, existe. Uma alimentação que, há milénios, procura saúde, longevidade é uma nutrição excelente às pessoas que a incorporam como alimentação principal na sua vida quaotidiana. E ao contrário da dieta mediterranea são uma imensa maioria os que a seguem com grande dedicação e disciplina. Referimo-nos à dieta japonesa.

Falamos de dados objetivos?

O Japão é um dos principais países do mundo com a taxa mais baixa de obesidade. Apenas 10% da população é obesa ou padece de sobrepeso, frente aos Estados Unidos, onde a cifra alcança os 70%. No que diz respeito a longevidade e esperança de vida, segundo a organização mundial de saúde, o Japão tem os habitantes mais idosos do mundo e a sua esperança de vida aumentou 30 anos durante os últimos 50 anos. A população feminina japonesa vive, em média, 87 anos e a masculina, 80 anos e, ainda que estejam na terceira idade, continuam a manter estilos de vida saudáveis.

A alimentação diária japonesa, rica em peixe fresco e vegetais, não ultrapassa as 2300 calorias diárias nos homens e as 1950 nas mulheres. É uma alimentação muito baixa em gorduras e alta em fitoesterois (óleos vegetais). Um equilíbrio perfeito para manter o organismo em bom estado, e prevenir doenças cardiovasculares e cancro: 12% de proteínas, 25% de gordura e 63% de hidratos carbono.

Porque não começamos a praticar os seus costumes no que diz repeito à alimentação?  É uma boa ideia, especialmente se praticamos algum desporto. Sem dúvida, constitui um excelente aporte para manter a forma.

É possível adotar a alimentação japonesa no nosso dia a dia?

Quiças comer sushi todos os dias pode ser complicado, quer por economia quer por elaboração, se o preparamos nós. Mas é certo que podemos aplicar padrões da alimentação japonesa na nossa rotina diária para equilibrar a nossa alimentação se somos desportistas ou realizamos com frequência treino físico. Aqui vão umas quantas dicas sobre a alimentação japonesa que podemos seguir:

  • Alimentos frescos e pouca quantidade nas rações: arroz, fruta e verdura são as estrelas. Nada de alimentos preparados e ficam desterrados os produtos industriais. Melhor ficarmos com fome e fazermos várias refeições pequenas ao longo do dia. Comer com pauzinhos ajuda a relentizar a ingestão e reduz a quantidade de comida.
  • Um pequeno almoço potente sem lácteos: sopa de miso, chá verde, salmão e arroz. Um jantar leve à base de peixe e verdura, melhor de tarde do que à noite. Uma estupenda disciplina alimentar para repor forças depois duma sessão de exercício.
  • Mastiga devagar e sem pressas. Há pouco tempo perguntaram à mulher mais idosa do mundo, japonesa claro, um dos seus segredos para se manter fresca. "Mastigar trinta vezes cada bocado de comida." Desfrutar da comida sem pressas, vivendo a experiência de maneira gratificante.
  • Arroz, verdura e peixe fresco. É muito chá verde a qualquer hora. Tem zero calorias e nada de açúcar, frente aos refrescos ocidentais ou a um café a meio da manhã.  Pode ser uma estupenda opção para te hidratares enquanto praticas desporto.
  • No Japão não se consome pão ou produtos elaborados com farinhas refinadas. É muito normal incorporar na alimentação pastéis de arroz ou de soja, que aportam fibra e energia.
  • Cozinhar ao vapor verduras, arroz e peixe conserva os seus nutrientes e vitaminas mantendo a textura, aroma e sabor.
  • A terapia da água: entre oito a doze copos de água por dia. Dois copos de água mal acordemos e deixar passar 45 minutos para tomar o pequeno almoço. Depois, duas horas sem ingerir alimentos. Deve seguir-se o mesmo procedimento ao almoço e ao jantar.

Alimentos estrela japoneses

Quais são os alimentos básicos que figuram na alimentação japonesa?

Existem uma série de ingredientes que constituem a roda alimentar japonesa. Ao contrário da nossa pirâmide alimentar, os produtos derivados dos lácteos aparecem na parte inferior - na parte mais estreita - ou seja, o menos recomendados para consumir. Também não se deve abusar da fruta, devido ao aporte extra de açúcar que contém. Seguimos para cima com o,peixe, carne, ovos e derivados da soja. As partes altas - as de maior consumo - são verduras, arroz e pasta - sempre de trigo que contêm muito poucos carboidratos. E na parte de cima, água e chá verde.

Existem alimentos indispensáveis na alimentação japonesa como a soja, o miso ou o tofu. Utilizam-se em todos os tipos de sopas, saladas ou como alimento básico em pratos principais. São ricos em cálcio e proteínas, além de serem antioxidantes. Substituem os lácteos e reduzem o colesterol e ajudam a prevenir a diabetes.

Sabes porque é que o vinagre está tão presente na alimentação japonesa? Porque contém ácido acético, um queimador natural de gordura. No Japão utiliza-se sobretudo como tempero de saladas ou molhos para acompanhar o sushi. E falando de saladas: a salada de algas com pepino e molho de vinagre é uma delicia, fresca e muito nutritiva. Ideal para te refrescares depois dum treino duro.

Regra geral, os japoneses não são amantes do doce. E não têm o costume de comer sobremesa depois das refeições. Substituem-na por pastéis de soja, miso ou feijão vermelho. Se não os provaste ainda, o que esperas!? Vais ficar surpreendido com o seu delicioso sabor.

Como viste, ter uma alimentação que contenha alimentos japoneses pode ser fácil de manter de forma rotineira. É uma opção muito recomendada para desportistas ou pessoas que realizam exercício físico diário. Mas também para todos aqueles que desejem ter uma vida saudável e equilibrar o seu organismo com uma alimentação saudável.

Virgin Active
#AlwaysDiscovering

Comentários ()