Esta página web usa cookies para que possas desfrutar de uma ótima experiência de usuário e para que possamos entender como usas a web. Se consentes o uso de cookies para esta página web, continua a navegar com normalidade. Podes encontrar mais informação sobre as cookies que usamos e configurar o seu uso visitando a nossa página de configuração de cookies.

Blog

Desportos que não fazem parte do olimpismo (mas deveriam ser)

padel

Quando tinha 5 anos joguei o meu primeiro jogo de futebol de salão. O campo de cimento e alguma gravilha foi testemunha das minhas andanças com a camisola número 11. Uns anos depois, descobri que a minha vocação desportiva era essa: jogar em equipa, popularidade da disciplina em todo o país, capacidade de crescimento e um cúmulo de valores que, desportos coletivos como este, te deixam ao longo dos anos. Mas a minha primeira grande pergunta acerca deste desporto chegou nas olimpíadas de Barcelona 1992: porquê o futebol de salão não era uma disciplina dos Jogos Olímpicos?

Pois bem, o futebol de salão forma parte dum grande número de desportos excluídos do certame por diversos fatores contidos na Carta Olímpica, que enumera os princípios fundamentais do olimpismo e das normas do Comité Olímpico Internacional (COI). Para que uma disciplina possa ser considerada "desporto olímpico" tem de cumprir vários requisitos, como por exemplo ser praticada em mais de 70 países, em 4 continentes e por homens e mulheres, e ter uma federação devidamente estabelecida, entre outras regras. O limite de competições que se podem realizar e atletas que podem participar nos Jogos Olímpicos é de 310 e 10.500, respetivamente.

Neste artigo falamos-te de disciplinas muito conhecidas e praticadas pelo mundo, especialmente em Portugal, mas que ainda não formam parte dos Jogos Olímpicos. Em alguns casos nunca as veremos numa celebração deste calibre.

Futebol de salão

É um desporto que ocupa os recreios e os campos de Portugal. Este país é uma das grandes potências no mundo mas, ao parecer, um mundo relativamente pequeno para a prática do mesmo. É uma modalidade muito parecida com o futebol e joga-se num campo mais pequeno e com uma bola mais pequena, com menos jogadores e com umas regras bastante diferentes.

Hockey em patins

Nesta modalidade, Portugal também é uma das grandes potências mundiais; ainda que, quiças, mundiais devia ir entre aspas, uma vez que esta disciplina não se prática nos Estados Unidos, Ásia nem Oceania, é muito pouco em África.

Pádel

Espanha, sempre à mercê da todo poderosa Argentina, é uma das grandes potências neste desporto, tal como noutros de raquetes como o badminton ou o ténis. Com mais de 5.0000 jogadores federados, o padel é uma disciplina relativamente nova que foi ganhando adeptos num tempo record.

Petanca

Ainda que não pareça, o mítico desporto de bairro, chamado coloquialmente "dos avós", conta com brilhantes competidoras, especialmente no ramo feminino. Mas este desporto, dominado pela França, também não forma parte do olimpismo e muito provavelmente nunca o faça.

Kárate

Como muitas outras artes marciais, os grandes dominadores desta modalidade são os japoneses, ainda que se pratique numa boa parte do mundo e tenha sido considerada sempre como uma firme candidata a modalidade olímpica.

Futebol Americano

Nos Estados Unidos este desporto produz adoração mas no resto do mundo não tanto, ainda que seja praticado em mais de 60 países. É uma das disciplinas que não perde a esperança de ser olímpica rapidamente devido à quantidade de praticantes e ao impacto do mesmo. Sem dúvida, o país norte americano seria o dono e senhor do campeonato, como ocorre com o basquetbol, ainda que alguns países estejam a trabalhar duro para fazer-lhes sombra.

Pelota Basca

Como o seu próprio nome indica, é uma disciplina muito praticada no País Basco e os melhores jogadores pertencem a essa comunidade autónoma, apesar de termos competidores cada vez mais surpreendentes como México, Argentina ou Uruguai.

Motociclismo e automobilismo

Aqui parece que o assunto está mais claro. As coisas têm de mudar muito para que estas duas disciplinas se tornem olímpicas. O motociclismo é um desporto muito espalhado pelo mundo, se bem que nos mundiais só alguns países são donos e senhores. Pois bem, a razão evocada pelo COI para não aceitar estas modalidades desportivas é simples: "o conceito que temos é que os jogos são sobre a competência para os atletas, e não para as máquinas". E isto não foi dito por qualquer pessoa, e sim, pelo agora ex presidente do Comité, Jaques Rogge.

Squash

É, sem dúvida, um dos desportos mais próximos de ser olímpico. Praticado em boa parte do mundo, segundo alguns registos em mais de 185 países, é uma das disciplinas mais completas.

Rugby

Tradicionalmente, com 15 jogadores, o Rugby formou parte de 4 das primeiras 7 edições dos Jogos Olímpicos modernos. Muito praticado em vários continentes, atualmente várias seleções repartem-se o ceptro mundial: Nova Zelândia, Austrália, África do Sul, Inglaterra ou País de Gales são alguns. Em Portugal este desporto é muito praticado, ainda assim não alcançamos o nível das seleções dominantes.

Xadrez

Actualmente é difícil que esta modalidade seja considerada parte do programa olímpico. É tão complicado que inclusive o xadrez tem as suas próprias olimpíadas, independentes dos jogos olímpicos. É praticado numa boa parte do mundo.

Sumo

Todos já vimos alguma vez um combate de sumo, mas a possibilidade de que esta modalidade seja olímpica é quase inexistente. O Japão é a bandeira deste desporto.

Beisebol

Um desporto muito praticado em quase todo o mundo, ainda que com poucas nações à cabeça, como Estados Unidos, Japão ou países da América latina como Cuba, México ou Venezuela, entre outros. O beisebol já foi olímpico, mas desapareceu em Londres 2012. Em Portugal pratica-se pouco e não há muita tradição.

Existem outras modalidade como escalada, surf, polo, bilhar, dardos, bowling, que se praticam em boa, parte do mundo.

Virgin Active
#AlwaysDiscovering

Comentários ()