Esta página web usa cookies para que possas desfrutar de uma ótima experiência de usuário e para que possamos entender como usas a web. Se consentes o uso de cookies para esta página web, continua a navegar com normalidade. Podes encontrar mais informação sobre as cookies que usamos e configurar o seu uso visitando a nossa página de configuração de cookies.

Blog

Colesterol e Atividade Física

atividades-em-piscina

O Colesterol é uma gordura que se encontra de forma natural no nosso organismo e a sua presença é essencial.

Existem duas importantes formas de colesterol no nosso sangue que devemos conhecer, o HDL (comummente chamado de “colesterol bom”) e o LDL (“colesterol mau”). O HDL é produzido pelo organismo, transporta o excesso de colesterol, afastando-o das artérias e levando-o de volta para o fígado, onde é fragmentado e removido do organismo, protegendo o sistema cardiovascular. O LDL é introduzido no organismo através dos alimentos, transporta o colesterol do fígado para os tecidos do corpo, onde é necessário.

Embora uma pequena quantidade de colesterol seja vital para o funcionamento adequado do organismo, a presença de demasiado colesterol é um fator de risco no desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

O colesterol alto não apresenta sintomas por isso todos devemos procurar saber qual o nosso valor.

Qual é o seu número?

De acordo com a Sociedade Portuguesa de Cardiologia estes são os valores de referência:
Os níveis de colesterol podem subir gradualmente com a idade dependendo de fatores genéticos, hereditários e estilo de vida. Dentro do estilo de vida os que mais se destacam são a dieta e a atividade física.

Como é que a atividade física é determinante no combate ao colesterol?

Existem certos tipos de enzimas que controlam os níveis de colesterol do nosso organismo. Essas enzimas podem ser alteradas por remédios, pela quantidade de gordura corporal e massa muscular e também pela prática de atividade física.

A atividade física pode alterar a produção das enzimas que controlam os níveis de gordura do nosso sangue. A LPL (lipoproteinolipase), a enzima que destrói os triglicerídeos e aumenta os níveis de colesterol HDL (“colesterol bom”), foi encontrada em quantidades elevadas entre os praticantes de exercícios aeróbios, além disso, a perda de gordura corporal irá aumentar a ação dessa mesma enzima.

A hepatolipase (HL) é a enzima que remove o bom colesterol, o HDL. Os exercícios de resistência tendem a diminuir a quantidade desta enzima, ajudando a aumentar o nível de HDL.

Os estudos revelam que o exercício pode diminuir o colesterol total numa média de 10mg/dl e mais importante, revelam que o nível de colesterol LDL diminui e o HDL aumenta, ou seja, apesar da diminuição do total ser de 10mg/dl, o corpo ganha mais HDL e menos LDL, uma excelente notícia!

Estes efeitos do exercício físico podem ocorrer entre doze semanas e seis meses, ou seja, é um caminho longo, mas muito mais que um tratamento é um novo estilo de vida, muito mais saudável e com melhor qualidade de vida.

Marta Pinto
Fitness Consultant na Virgin Active Gaia

Comentários (1)

Rui Fragoso

Enviado el

>95% da quantidade do colestrol advém do tipo de nutrição (sendo que 75% é fabricado pelo próprio organismo). Não há nada que o desporto possa fazer pelo colestrol de alguém que coma de forma "anti-natura" (para não chamar incorrecta). De qualquer forma o colestrol não é um problema (para a população em geral) nem nunca foi. Estamos no século XXI a propagar informação desactualizada (mitos). Responder