Esta página web usa cookies para que possas desfrutar de uma ótima experiência de usuário e para que possamos entender como usas a web. Se consentes o uso de cookies para esta página web, continua a navegar com normalidade. Podes encontrar mais informação sobre as cookies que usamos e configurar o seu uso visitando a nossa página de configuração de cookies.

Blog

Alimentação desportiva: dieta paleo

Há uma dieta desportiva que cada vez mais está a ganhar força no ginásio: a dieta paleolítica. Está baseada na nossa genética, melhor dizendo, na genética do homem primitivo, que se alimentava à base de aves, peixes, animais, insetos, fruta e verduras. Ou seja, tudo o que podia apanhar do meio que o rodeava, com as suas mãos, abatendo com pedras ou com a sua lança.

Por isso se chama paleolítica - ou paleo - porque a comida não estava processada. Esta é a ideia básica que vamos explicar mais detalhadamente neste post.

Regresso às origens: o homem das cavernas

A dieta paleo pode ser que pareça uma moda, como outras dietas milagrosas que circulam por centros de saúde e meios de comunicação, inclusive, pode ser que devido ao seu nome pareça que tem algo de exótico ou extravagante, mas se a analisamos em profundidade vemos que cientificamente é das mais saudáveis que existem. Inclusive se seguimos o seu lema básico: "se não se pode apanhar diretamente da natureza e comer diretamente, não é paleo".

Com este curioso slogan que parece saído das mesmas cavernas que o Homo Neanderthalensis, eliminamos todo um rol de comida processada é embalada, ou seja, tratado ou com agentes químicos para o seu crescimento (os terríveis transgénicos, que debilitam o nosso sistema imunitário e dão entrada a doenças fatais como o cancro do cólon, etc) ou com estabilizantes (o proibido E350, cancerígeno), espessantes e antioxidantes para a sua conservação… ou uma demoníaca combinação dos dois.

Claro está que podemos "caçar" um javali em qualquer parque urbano, mas… que se atreve a comê-lo? Os puristas da dieta paleo têm a resposta preparada: o homem primitivo inventou o fogo esfregando dois pauzinhos de madeira sobre uma pedra, não foi? Pois então façamos o mesmo e aquecamo-lo um pouco. Tão simples quanto isto. Isto é o que eles entendem pelo seu "processado" de comida politicamente correto para os paleo.

E não convém queimar muito a carne porque perderá as suas vitaminas (alguém costuma pedir um bistec mal passado num restaurante?). Também têm razão, porque um bistec duro como a sola de um sapato já perdeu muitos dos seus nutrientes.

Então os alimentos básicos de toda a dieta paleo são: carne vermelha, carne magra de aves, peixe, hortaliças, fruta, frutos secos (sem fritar), azeite e ovos.

Porquê paleolítico e não "neolítico"?

Seguindo a sua filosofia poderíamos perguntar: porquê não posso comer massas, pão, arroz… se também vêm da natureza? Existem duas respostas para essa pergunta. A primeira, a dos puristas da paleo, é que tudo o que não se possa agarrar diretamente da árvore ou apanhar do caminho (maçãs, nozes, ananás, alfaces, cenouras, tomates, uvas, etc) significa que foi tratado pelo homem.

E o arroz, o trigo, o pão, etc, pertence a uma época posterior ao paleolítico, que é o neolítico: quando o homem tomou consciência do que o rodeava e que podia "controlar" os cultivos ao seu gosto e cultivar, produtos que depois processaria e converteria em omeletes, bolachas, farinhas, pão, etc. depois, com a revolução industrial e a produção em série para as massas, aconteceria o uso de conservantes, transgénicos, etc. Mas os puristas da paleo já lavaram as mãos com o neolítico…

A outra resposta, a nutricionista-científica, casa perfeitamente com os conceitos da paleo: as farinhas, o açúcar, o pão, a massa, etc são considerados "carboidratos maus" (com um alto índice glicémico), porque convertem-se rapidamente em gordura no organismo e não se queimam rapidamente. Além disso, elevam o nível de insulina no sangue de forma desproporcionada conduzindo a uma maior demanda de açúcar no organismo. Quem pode dizer que se saciou ao beber uma Coca-Cola? (só num copo há 35 g de açúcar).

Ao contrário, saciar-se de proteína é muito fácil, basta comer dois hambúrgueres (sem pão). E com a fruta acontece o mesmo: come duas maçãs e verás como te passa o apetite.

A dieta paleo e o treino adequado: o crossfit

A filosofia da dieta paleo vai de mão dada com um tipo de treino que se tornou tremendamente popular no ginásio e que vai ganhando cada vez mais adeptos entre muitos desportistas de diversas disciplinas (ciclistas, culturistas, nadadores, boxeadores, etc). Chama-se crossfit e baseia-se na execução de uma série de exercícios básicos ou funcionais (abdominais, flexões, agachamentos, etc) num tempo determinado, com muita intensidade e diversidade (os exercícios, ainda que básicos, são sempre diferentes: abdominais no solo, na barra elevando as pernas, agachamentos levantando uma roda de um trator, etc.)

Com estes parâmetros consegue-se treinar numa sessão, todas as partes do corpo e a intensidade máxima, o que significa duas coisas:

  • Uma, exercitar ao máximo o sistema cardiovascular ainda que se faça com peso, é sempre a contra relógio.
  • Dois, elevar o nível de insulina no corpo, o que unido à dieta paleo na qual não existem carboidratos perigosos contribui para a queima acelerada de gorduras.

Está claro: ao não consumir praticamente carboidratos de alto índice glicémico na dieta, o organismo, ante tal brutal atividade, remove os depósitos de gordura que guardamos procedentes de nutrientes como a carne (hambúrgueres, bacon, ovos, …) e que vai usar como carburante para o exercício e para o dia depois: nas 48 horas posteriores a uma sessão de crossfit queimam-se mais gorduras que em nenhum outro tramo horário.

É o treino perfeito para os seguidores da dieta paleo porque cumpre com os seus PERCEPTOS: são movimentos básicos e funcionais que o homem pode fazer em qualquer sítio: na box do ginásio, em casa (usando cadeiras para fazer fundos e flexões, a ombreira da porta para fazer dominadas) ou a viajar (subindo as escadas do hotel para os agachamentos) E claro, é o melhor complemento para qualquer tipo de desporto (halterofilia, ciclismo, escalada).

O homem primitivo volta à cena!

Virgin Active
#AlwaysDiscovering

Comentários ()